• OCK MÍDIA

Como estruturar uma Ficha de Anamnese

Uma ficha de Anamnese bem estruturada deve cumprir sua finalidade, que nada mais é do que ajudar o médico a conhecer por completo o seu paciente.


Para facilitar o dia-a-dia no consultório é recomendável que o profissional utilize a Anamnese Dirigida, ou seja, uma ficha onde as perguntas já estão prontas. Nesse caso, as perguntas devem ser simples, visando a facilidade de compreensão. O objetivo sempre será chegar a um diagnóstico de confiança, portanto atente-se ao nível de clareza das perguntas nesse contato inicial com seu paciente.


Uma boa Ficha de Anamnese deve conter:


· Data: dia, mês e ano da avaliação;

· Informações pessoais e de contato: nome, estado civil, profissão, telefone, endereço completo, e-mail;

· Queixa principal: motivo que levou o paciente a procurar ajuda profissional (sintomas e sinais);

· Histórico da queixa: localização, quantidade, intensidade, tempo, o que agrava ou o que melhora;

· Histórico patológico: tratamentos já realizados, medicamentos em uso, alergias;

· Histórico familiar: ocorrência na família, hábitos de vida e o tipo de alimentação;

· Histórico psicossocial: Vícios (tabagismo, alcoolismo).


Outros tópicos podem ser acrescentados, caso o profissional julgue necessário. O importante é que esse “questionário” contenha o histórico clínico, o histórico familiar, fatores genéticos, intolerâncias a medicamentos ou alimentos, tabagismo, padrões de vida, atividades físicas, tratamentos a que está sendo submetidos etc., visando reunir o maior número de informações sobre o paciente, afim de que possa ser direcionado ao tratamento indicado para seu caso.

6,824 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo