• OCK MÍDIA

A internet e o autodiagnóstico

Segundo dados do Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade (ICTQ), 40,9% dos brasileiros fazem autodiagnóstico pela internet.


De acordo com os pesquisadores, quem mais busca informações sobre sua saúde na internet são pessoas entre 16 e 34 anos, consideradas mais “imediatistas”. Esse público tem acesso fácil à internet nos smartphones e evita consultas médicas quando consideram que seus sintomas não são tão graves. Ou seja, se julgam que o problema pode “ser cuidado em casa”, acabam tratando com algum remédio ou pomada encontrados nas buscas virtuais e só buscam o médico se a internet não lhes der solução.


Embora cada vez mais comum, a busca por informações sobre saúde na internet pode oferecer alguns riscos, entre eles o retardamento do diagnóstico e efeitos colaterais no caso da automedicação. Ao utilizar um medicamento sem a devida orientação médica, o paciente pode, na verdade, estar “mascarando” uma doença.

Para incentivar o paciente a se consultar com um médico e usar a internet apenas como fonte de informação, o profissional pode:

  • Oferecer informações confiáveis: seja por meio de quadros informativos no consultório ou panfletos disponibilizados na recepção. O profissional pode, ainda, criar um Blog ou disponibilizar conteúdos por meio das redes sociais;

  • Disponibilizar um canal de atendimento: um número de telefone ou Whatsapp para esclarecimento de dúvidas e atendimento a situações emergenciais;

  • Conscientizar o paciente durante a consulta: a informação sempre será o melhor meio para a conscientização - por isso, deixe claro ao paciente que quando ele procura apenas pelos sintomas, pode ignorar a probabilidade de estar com uma doença séria que só um profissional pode diagnosticar e tratar.

A Internet é uma excelente ferramenta de pesquisas, porém um leigo pode ficar mais perdido do que informado quando busca por informações sobre saúde. O paciente não tem a devida formação para interpretar termos e para discernir as informações sobre o tratamento.


Converse com seu paciente e ofereça sempre o melhor atendimento. Demonstre preocupação com suas dúvidas e empenho para esclarecer cada uma delas. Isso faz com que ele tenha confiança e sinta segurança para procurar seus serviços sempre que precisar.

43 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo